Arquivo da tag: Veja

As mentiras vão caindo por si só…

A verdade te libertará.

01 dezembro pedido de desculpas de Setti

Muita gente quer que Lula dê explicações, mas dar explicações a cada mentira do PIG seria dar credibilidade a quem não tem.

Sobre mentiras, tivemos a da mala diplomática, ou seria , container diplomático (6,5m3?) para caber tanto dinheiro. Agora, a Veja se ver obrigada a desmentir a divulgação de uma fotografia – uma fotomontagem da mais mal-feitas, que uma análise anterior à sanha (ou má fé) em divulgá-la teria facilmente impedido de acontecer. Enfim, uma fotomontagem colocando Lula ao lado da tal Rose.

O pedido de desculpas de Ricardo Setti:

http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/politica-cia/errei-ao-publicar-foto-falsa-de-lula-com-rose-e-dona-marisa-que-na-verdade-era-uma-montagem-peco-desculpas-aos-leitores-e-as-tres-pessoas-que-aparecem-na-montagem/

A publicação em que divulgou a fotomontagem (já alterada. sem a foto)

http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/tag/caso-rose/

 

 

Anúncios

Técnica de redação da Veja – redija um texto com 3 teclas

A matéria de Cynara Menezes que descobriu o Control C + Control V (abaixo):

http://www.cartacapital.com.br/politica/control-c-control-veja/

A matéria com trechos copiados (abaixo):

http://brasil247.com/pt/247/poder/52162/Movimento-na-web-tenta-intimidar-Gilmar-Mendes.htm

A matéria do Brasil 247 tirando onda com a Veja (abaixo):

http://brasil247.com/pt/247/midiatech/63058/Veja-faz-pl%C3%A1gio-do-247-e-atribui-documento-ao-PT.htm

O caso é de polícia mesmo… mas é a Veja o caso de polícia

Formação de quadrilha

A revista que arrendou uma quadrilha para produzir ‘flagrantes’ que dessem sustentação a materias prontas contra o governo, o PT, os movimentos sociais e agendas progressistas teve a credibilidade ferida de morte com as revelações do caso Cachoeira. VEJA sangra em praça pública. Mas na edição desta semana  tenta um golpe derradeiro naquela que é a sua especialidade editorial: um grande escândalo capaz de ofuscar a própria deriva. À falta dos auxilares de Cachoeira, recorreu ao ex-presidente do STF, Gilmar Mendes, que assumiu a vaga dos integrantes encarcerados do bando para oferecer um ‘flagrante’  à corneta do conservadorismo brasileiro. Desta vez, o alvo foi o presidente Lula.

A semanal transcreve diálogos narrados por Mendes de uma inexistente conversa entre ele e o ex-presidente da República, na cozinha do escritório do ex-ministro Nelson Jobim. Gilmar Mendes –sempre segundo a revista– acusa Lula de tê-lo chantageado com ofertas de ‘proteção’ na CPI do Cachoeira.

Em troca, o amigo do peito de Demóstenes Torres, com quem já simulou uma escuta inexistente da PF (divulgada pelo indefectível Policarpo Jr, de VEJA, a farsa derrubou o diretor da ABI, Paulo Lacerda), deveria operar para postergar o julgamento do chamado ‘mensalão’.

Neste sábado, Nelson Jobim, insuspeito de qualquer fidelidade à esquerda, desmentiu cabalmente a versão da revista e a do magistrado. Literalmente, em entrevista ao Estadão, Jobim disse: ‘O quê? De forma nenhuma, não se falou nada disso. O Lula fez uma visita para mim, o Gilmar estava lá. Não houve conversa sobre o mensalão; tomamos um café na minha sala. O tempo todo foi dentro da minha sala (não na cozinha); o Lula saiu antes; durante todo o tempo nós ficamos juntos“, reiterou.

A desfaçatez perpetrada desta vez só tem uma explicação: bateu o desespero; possivelmente, investigações da CPI tenham chegado perto demais de promover uma devassa em circuitos e métodos que remetem às entranhas da atuação de Mendes e VEJA nos últimos anos. Foram para o tudo ou nada. No esforço para mudar o foco da agenda política e criar um fato consumado capaz de precipitar o julgamento do chamado ‘mensalão’,jogaram alto na fabricação de  uma crise política e institucional. O desmentido de Jobim nivela-os à condição dos meliantes já encarcerados do esquema Cachoeira.

A  Justiça pode tardar.

A sentença da opinião pública não.

(Carta Maior; Domingo/27/05/2012)

#vouaBerlim

http://www1.folha.uol.com.br/poder/1096205-lula-propos-ajuda-em-cpi-para-adiar-mensalao-diz-gilmar-mendes.shtml

O pinóquio fala à Veja e depois à Folha UOL. Chamem o grilo falante.

Lula fala diretamente com a blogosfera

Adeus, PIG,

informação agora é direta na fonte… O PIG se desespera não poderá mais manipular os dados como antes…

Depois do grampo que nunca existiu…

Gilmar Mendes é mesmo uma figura ímpar. Primeiro chama o presidente às falas por um grampo que nunca existiu. Agora vem com esta entrevista para (advinha?) a Veja.

A credibilidade de Gilmar Mendes e da Veja estão no mesmo lugar, marque a alternativa correta:

[   ] Céu

[   ] Lama

A SEGUIR MATÉRIA VEICULADA PELO BRASIL 247:

Gilmar denuncia, em Veja, pressão feita por Lula

 Na edição que chega às bancas neste fim de semana, a revista Veja publica uma nova denúncia contra o ex-presidente Lula, ancorada num depoimento do ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes. De acordo com a reportagem, assinada por Rodrigo Rangel e Otávio Cabral, Lula pressionou Gilmar a adiar a votação do processo do mensalão. Em troca, blindaria o ministro na CPI do caso Carlos Cachoeira.

Segundo o relato da revista, Lula e Gilmar se encontraram no dia 26 de abril no escritório do advogado e ex-ministro Nelson Jobim. O que deveria ser um encontro de cortesia teria se transformado num episódio de pressão explícita. “É inconveniente julgar esse processo agora”, teria dito Lula a Gilmar, reivindicando que o processo do mensalão fosse decidido apenas após as eleições municipais de 2012. Em seguida, diante da reação pouco amistosa de Gilmar, Lula teria passado um recado. “E a viagem a Berlim?” Gilmar Mendes fez uma viagem recente a Berlim, onde se encontrou com o senador Demóstenes Torres (sem partido/GO). Carlos Cachoeira também foi à capital alemã, na mesma data, mas não se sabe se houve encontros dele com o senador e o ministro do STF.

Gilmar se sentiu pressionado e relatou a conversa à revista Veja, a quem disse ter considerado indecoroso o comportamento do ex-presidente da República. “Fiquei perplexo com o comportamento e as insinuações despropositadas do presidente Lula”, disse ele à revista. Gilmar afirmou ainda que viaja com frequência a Berlim, onde fez seu doutorado e onde também mora sua filha. “Vou a Berlim como você vai a São Bernardo”, teria dito ele a Lula.

Anfitrião do encontro, Nelson Jobim colocou panos quentes. Disse que não ouviu tudo o que foi tratado no encontro e a que a conversa se deu em “tom amigável”. Fica, portanto, a palavra do ministro Gilmar Mendes contra a do ex-presidente Lula, que, procurado por Veja, não se pronunciou.