Arquivo do mês: julho 2012

Caio Blat pede desculpas à Globo

“Recentemente fui convidado a dar uma palestra para um grupo de produtores culturais da cidade de Suzano, em evento promovido pela Prefeitura de Suzano.

Na ocasião, falei sobre diversos assuntos, fiz uma retrospectiva da minha carreira e, em determinado momento, instigado pela audiência sobre o porquê de muitos filmes não chegarem até as salas de cinema das cidades pequenas, proferi uma crítica feroz ao sistema de distribuição das grandes distribuidoras de cinema.

Nessa crítica, na verdade espécie de desabafo pela frustração diante de resultados recentes de alguns trabalhos, de forma impulsiva, acabei avançando sobre temas dos quais não tinha conhecimento suficiente, misturei questões pertinentes e importantes com outras tantas generalizações, e acabei atingindo quem estava mais perto, ou seja, a Globo Filmes, parceira prioritária do cinema nacional, de forma injusta.

Tudo isso teria se resumido a uma reunião com pouco mais de 20 pessoas, não fosse a atitude da Secretaria de Comunicação daquela cidade de veicular minha fala na internet, quase três meses depois do evento, sem qualquer tipo de aviso ou autorização de minha parte, numa forma oportunista de autopromoção.

Ao tomar conhecimento dessa veiculação, entrei imediatamente em contato com os responsáveis pelo vídeo, pedindo sua retirada do ar. Para minha surpresa, a Secretária de Comunicação da Cidade de Suzano se recusou a fazê-lo de forma amigável, alegando que a repercussão de vídeo estava sendo boa para a Cidade. Pedi então, no dia de hoje, que meus advogados fizessem uma interpelação judicial e tomassem as medidas cabíveis para preservar minha imagem e das empresas onde trabalho.

Resta então uma atitude minha em relação a vocês, para expressar meu arrependimento por ter levado esse assunto ao público, quando, devido ao longo relacionamento que temos e a longa lista de grandes trabalhos realizados em parceria, devia tê-los procurado pessoalmente para discutir quaisquer dúvidas que eu tivesse ou mesmo levar minhas críticas, quando pertinentes. Deixo aqui meu pedido pessoal de desculpas, e reafirmo meu compromisso com os projetos que temos em parceria para futuros lançamentos e meu reconhecimento pelo trabalho generoso da Globo Filmes na promoção do cinema brasileiro.

Finalmente coloco-me a disposição para retratar-me sobre alguns equívocos que estão contidos na minha fala de então.

Atenciosamente,
Caio Blat”

 

Anúncios

Carta SUS auxilia Ministério da Saúde no combate ao desperdício de recursos

Carta SUS, correspondência enviada pelo Ministério da Saúde aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) para avaliação do atendimento e dos serviços prestados nos hospitais da rede pública e unidades conveniadas, já apresenta seus resultados. ODepartamento Nacional de Auditoria do SUS (Denasus) concluiu a primeira auditoria realizada após denúncias feitas por meio da correspondência e recomendou, à Prefeitura de São Gonçalo (RJ), o descredenciamento da Clínica São Silvestre (Clissil), que presta serviços de clínica obstetrícia ao município. Foi constatado, por exemplo, que a unidade fazia dupla cobrança (procedimento médico pago pelo paciente e pelo SUS).

Lançada em novembro de 2011, a carta tem se mostrado um instrumento eficaz para ajudar o Ministério da Saúde a identificar fraudes e irregularidades cometidas contra o SUS. Desde janeiro, mais de 4 milhões de correspondências já foram enviadas, resultando em 330 denúncias de usuários. A clínica foi alvo de 28 denúncias, que resultaram na investigação do Denasus. “A Carta SUS tem cumprido com eficácia seu papel no auxílio ao combate ao desperdício dos recursos públicos na saúde e aumento na transparência no SUS. É fundamental que a população, ao receber a carta, confira se as informações estão corretas e, caso haja qualquer irregularidade, faça a denúncia ao Ministério da Saúde para que haja uma fiscalização”, afirma o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Em razão da gravidade das irregularidades encontradas, além do descredenciamento da clínica, o Ministério da Saúde recomendou à prefeitura de São Gonçalo que realize a contratação imediata de novos leitos obstétricos para que não haja prejuízo ao atendimento da população e determinou a Clissil que devolva integralmente os valores cobrados indevidamente às usuárias do SUS.

Os auditores que estiveram na unidade no período de 14 a 23 de março deste ano, constataram uma série de irregularidades: além da dupla cobrança, a clínica cobrou por procedimentos não realizados e  praticou procedimento diferente do cobrado. Atualmente, o Ministério da Saúde, por meio do Datasus, realiza cinco auditorias para apurar denúncias de possíveis irregularidades. Todas são resultado das denúncias da população após o recebimento da correspondência. “É importante ressaltar que esta é uma ação totalmente integrada entre diversos setores do Ministério da Saúde: banco de dados que geram a carta, a Ouvidoria que recebe as denúncias e da Auditoria que apura as possíveis irregularidades. Esta integração propicia o combate ao desperdício e à corrupção”, ressalta o diretor do Departamento Nacional de Auditoria do SUS (Denasus), Adalberto Fulgêncio.

Em fevereiro, a Carta SUS permitiu ao Ministério da Saúde identificar problema semelhante na cidade de Pontão, no Rio Grande do Sul. A população denunciou a Prefeitura Municipal da cidade, que emitia boletos de cobrança por cirurgias realizadas pelo SUS. Os denunciantes só ficaram sabendo que o procedimento foi totalmente custeado pelo SUS após receberem a correspondência que informava o valor do procedimento. Na ocasião, a prefeitura alegou que não tinha dinheiro para arcar com os gastos da saúde. O caso foi encaminhado ao Ministério Público e está sendo auditado pelo Ministério da Saúde.

TRANSPARÊNCIA – Além do questionário para a avaliação do paciente, a Carta SUS traz dados como a data da entrada no hospital, o dia da alta e o motivo da internação. O usuário – ou familiar ou pessoa próxima – pode conferir se os dados estão corretos e se correspondem ao serviço prestado de fato, além de ter a oportunidade de conhecer o custo total da internação. Os endereços dos pacientes são obtidos nos formulários de Autorização para Internação Hospitalar (AIH), que integra o Sistema (nacional) de Informação Hospitalar. Estes formulários são, portanto, um instrumento essencial para a gestão dos hospitais e o controle de gastos públicos em saúde.

Para o Ouvidor Geral do SUS, Luis Carlos Bolzan, os resultados contribuirão para uma participação cada vez maior da população. ”Queremos que, a partir desses resultados, a população perceba que a Carta SUS é um instrumento para trazer informações para a devida apuração por parte do Ministério da Saúde e essas denúncias podem ser feitas também pelo telefone 136 e no Portal Saúde”, informa.

Em caso de denúncia de possíveis irregularidades na prestação dos serviços, serão abertos processos de auditoria para averiguar se houve ou não inadequações no atendimento aos usuários ou desvio de recursos ou, ainda, má aplicação de verba pública. Além de poder responder a Carta SUS pelos Correios, o usuário pode fazer a avaliação, sem custos, por meio do Disque-Saúde (136). A ligação pode ser feita de telefones fixos, públicos ou celulares, de qualquer local do país. A avaliação também está disponível na internet, no Portal Saúde.

Fonte: Lívia Nascimento / Agência Saúde

Procissão das Sanfonas em Teresina

Dia 02 de Agosto – próxima quinta-feira: Procissão das Sanfonas.

Saída: Praça Saraiva e chegada na Praça da Bandeira a partir das 15h.
Leve sua sanfona e cante conosco os 23 anos de Saudade do Gonzagão.

Presenças confirmadas de vários sanfoneiros, sanfoneiras, amigos gonzagueanos e Reginaldo Silva – sócio fundador da I Colônia Gonzagueana do Brasil.

“Ai, ai, que bom, que bom, que bom que é, uma estrada e uma cabocla com a gente andando a pé…”

Em 2012 homenageamos Mestre Ângelo de Abreu.

A Procissão das Sanfonas acontece sempre no dia 02 de Agosto – dia em que nosso Rei do Baião nos deixou em 1989. Lá já são 23 anos. Em Teresina, os gonzagueanos, declarados ou não, realizam essa simples homenagem (Procissão das Sanfonas) desde 2009.

A partir das 15h estaremos na Praça Saraiva para a bênção das Sanfonas – com Pe. Marcelo Nosso ( pernambucano gonzagueano que nos alegra vivendo em Teresina. Vamos lá! Leve sua sanfona. Convide os amigos. A única coisa combinada é o repertório: LUIZ GONZAGA até a Praça da Bandeira.

“Ai, ai, que bom. Que bom, que bom que é… Uma estrada e uma cabocla com a gente andando a pé…”

Quem quiser, pode também levar um foguete, daqueles simples. de festa de interior… Pow, pow, pow…

 

Veja e a bela bandida

http://oglobo.globo.com/pais/juiz-diz-que-mulher-de-cachoeira-tentou-chantagea-lo-com-dossie-5626908

Mulher de Carlinhos Cachoeira atrás das grades…

http://noticias.r7.com/brasil/noticias/mulher-de-cachoeira-e-detida-pela-pf-por-suspeita-de-tentar-subornar-juiz-20120730.html?s_cid=mulher-de-cachoeira-e-detida-pela-pf-por-suspeita-de-tentar-subornar-juiz-20120730_noticias_brasil_twitter&utm_source=twitter&utm_medium=social&utm_campaign=botao_twitter&utm_term=mulher-de-cachoeira-e-detida-pela-pf-por-suspeita-de-tentar-subornar-juiz-20120730

Se não estão preparados psicologicamente, não deviam ser PMs

Matéria publicada pela Folha de São Paulo Cotidiano traz fala de um policial.

Você pode ler aqui.

No entanto, vale a pena refletir sobre suas ponderações sobre a ação.

“Na opinião do policial, a morte de Aquino deve ser avaliada dentro do seguinte contexto:

1) oito policiais foram mortos e cinco bases da PM foram atacadas desde junho;
2) o cabo Robson, um dos policiais envolvidos na ação, foi baleado em junho do ano passado numa tentativa de roubo na avenida Pacaembu;
3) a ação aconteceu em uma rua com pouca iluminação, e Aquino, agitado, fez um movimento brusco com o celular na mão, o que levou os PMs a acharem que ele estava armado e iria atirar.

“Vivemos um momento de tensão muito grande”, disse.”

Utilizando a mesma linha de raciocínio, se analisarmos a situação em que vive a comunidade na relação com a polícia militar, TRAGÉDIAS ocorreriam todos os dias contra policiais militares.

Fica a fala do advogado da família de Aquino (o empresário morto na ação):

” Se não estão preparados psicologicamente, não deviam ser PMs.”

Sarah Menezes é ouro